Pesquisas Eleitorais

 
Encontre aqui sua Pesquisa
Pesquisa

Teresa, do PMDB, segue à frente na disputa pela Prefeitura de Boa Vista

28/09/2012


​A segunda rodada da pesquisa encomendada pela Rede Amazônica ao IBOPE Inteligência e realizada entre os dias 22 e 24 de setembro sobre as eleições para prefeito de Boa Vista, mostra que a candidata Teresa (PMDB) segue na liderança das intenções de voto no município, com 54% das menções, mesmo patamar alcançado na última rodada (55%). Em um segundo patamar aparecem Mecias de Jesus (PRB), que oscila de 15% na última rodada para 19% na atual, e Telmário Mota (PDT) que cresce de 7% das citações para 12% na pesquisa atual. Robert Dagon, do PSOL, oscila de 3% para 5% das menções. Os que se declaram indecisos ou não querem responder, agora somam 5%, sete pontos percentuais a menos que na pesquisa realizada entre os dias 18 e 20 de agosto. Já os entrevistados que têm a intenção de anular ou votar em branco totalizam 5% das intenções de voto, proporção equivalente à registrada na pesquisa de agosto.


Período de campo: De 22 a 24 de setembro de 2012
Tamanho da amostra: 602 eleitores
Margem de erro: 4 pontos percentuais, considerando um grau de confiança de 95%
Solicitante: RÁDIO TV DO AMAZONAS LTDA.
Registro: Tribunal Regional Eleitoral de Roraima sob o protocolo Nº 00003/2012
Data de Publicação: 25/09/2012


​Votos válidos

Se fossem contados apenas os votos válidos – sem contar os indecisos e os votos em branco ou nulos – a candidata Teresa estaria na liderança com 60% das citações, contra 21% de Mecias de Jesus, 13% de Telmário Mota e 6% de Robert Dagon.

Destaques por segmentos

Mesmo não ocorrendo mudanças expressivas nos resultados gerais, as intenções de voto nos diferentes segmentos da população de Boa Vista apresentam algumas alterações significativas. Teresa tem aumento nas intenções de voto entre eleitores com 50 anos ou mais (passa de 50% na rodada anterior para 62% nesta rodada), e eleitores com ensino superior (passa de 45% para 52%). No entanto, a candidata também perde intenções de voto entre eleitores com 40 a 49 anos (passa de 57% para 50%) e eleitores com renda familiar de até 1 salário mínimo (vai de 69% para 52%).

O candidato Mecias de Jesus permanece estável na maioria dos segmentos mas também obtém significativos ganhos entre os eleitores com 16 a 24 anos (vai de 13% para 22%), eleitores com escolaridade até a 4ª série (sai de 12% para 18%) e com ensino superior (passa de 15% para 22%). O mesmo acontece com Telmário Mota, que cresce entre as mulheres (passa de 4% das intenções de voto para 12%), entre eleitores com 30 a 39 anos (cresce de 6% para 16% das menções), entre eleitores com ensino médio (também cresce de 6% para 16%) e, sobretudo, entre eleitores com renda familiar de até 1 salário mínimo: a proporção de eleitores com intenção de votar em Telmário Mota neste segmento cresce de 6% na última rodada para 22% no levantamento atual.

Além disso, também destaca-se a queda na proporção de entrevistados que não opinam ou não sabem em quem votariam se as eleições fossem hoje em todos os segmentos, com destaque para os eleitores com renda familiar de mais de 2 até 5 salários mínimos (proporção de indecisos cai de 14% para 4%), e renda familiar superior a 5 salários mínimos (cai de 13% para 1%) e eleitores com idade entre 25 e 29 anos (cai de 14% para 2%). No entanto, há segmentos que permanecem com proporções mais altas de indecisos, como os eleitores com 50 anos ou mais (9% não sabem ou não opinam) e com renda familiar de mais de 1 até 2 salários mínimos – 8% estão indecisos.

Espontânea

Na pergunta de intenção de voto espontânea, em que o entrevistado não conta com o disco com o nome dos candidatos às eleições, Teresa continua na frente, apenas oscilando de 50% para 52% das intenções de voto. Mecias de Jesus cresce de 14% para 19% das menções nesta rodada, da mesma forma que Telmário Mota, que sobe de 5% das citações na rodada passada para 12% nesta segunda rodada. Já Robert Dagon oscila de 3% das intenções de voto para 5%. Os indecisos ou os que preferem não responder somam 6%, o que representa um significativo decréscimo em relação à última pesquisa (12%), da mesma maneira que os eleitores que pretendem votar em branco ou anular o voto, que passam de 16% para 6% no levantamento atual.

Expectativa de vitória

Neste momento, 71% dos eleitores boa-vistenses acreditam que Teresa será a futura prefeita da cidade, ao passo que 14% acreditam na vitória de Mecias de Jesus. Os eleitores que não sabem responder ou preferem não opinar nesta pergunta somam 8%.

Rejeição

Entre os candidatos mencionados pelos eleitores como aqueles em quem não votariam de jeito nenhum, Mecias de Jesus continua com o maior índice de rejeição, que cresce de 36% para 43% nesta rodada. Em seguida, aparece a candidata Teresa, cujo índice de rejeição sobe seis pontos percentuais, passando de 15% para 21%. Robert Dagon, por outro lado, fica com índice de 20%, sem mudanças significativas em relação à primeira rodada (24%), enquanto a rejeição de Telmário Mota cai de 26% na pesquisa de agosto para 18% nesta rodada. Os eleitores que declaram que poderiam votar em todos os candidatos representam 5% do eleitorado, mesmo percentual registrado em agosto, enquanto os entrevistados que não sabem ou preferem não opinar passam de 13% para 6% nesta rodada.

Avaliação da administração municipal

A administração do Prefeito Iradilson Sampaio continua mal avaliada. Os eleitores que classificam a atual administração como ruim ou péssima somam 73% dos eleitores boa-vistenses, enquanto 16% a consideram regular, e 10% a avaliam como ótima ou boa. Em relação à primeira rodada os números permanecem estáveis, apenas com variações dentro da margem de erro. A desaprovação da administração do atual prefeito também segue alta, oscilando de 88% para 86% dos eleitores, enquanto a aprovação  passa de 8% para 12%.

O IBOPE inteligência perguntou novamente a percepção da população de Boa Vista sobre as principais áreas problemáticas da cidade. Saúde continua como o problema mais mencionado, com 62% das citações, seguido da educação, com 43% das menções, e do calçamento das ruas, com 35%.

Avaliação das administrações estadual e federal

A administração do Governador Anchieta Júnior é classificada como boa ou ótima por 43% dos entrevistados, enquanto 36% a consideram regular e outros 20% a classificam como ruim ou péssima. Os eleitores que declaram não saber ou preferem não responder continuam somando 2%. Em comparação com a rodada anterior, os números estão estáveis.

A administração da Presidente Dilma Rousseff, por sua vez, é melhor avaliada no levantamento atual. Os eleitores que consideram sua administração ótima ou boa, que antes representavam 60% do eleitorado de Boa Vista, agora somam 68% dos eleitores. Aqueles que consideram sua administração regular agora representam 23% e outros 7% a avaliam como ruim ou péssima.

 

 Outros Graficos

 

Selecione uma das opções abaixo para ver os resultados detalhados por variáveis sociodemográficas. Em seguida, clique nas abas abaixo do gráfico para escolher a variável desejada (sexo, idade, escolaridade e renda).

 

Somente desta rodada            Histórico de todas as rodadas